Pular para o conteúdo

Vera Canhoni

Psicanálise – Adolescência: imaturidade, saúde e tempo

Psicanálise – Adolescência: imaturidade, saúde e tempo

Tempo: imaturidade e saúde

D.W Winnicott diz que a “(…) imaturidade é elemento essencial da saúde durante a adolescência”.

Como parte preciosa da adolescência, a imaturidade contempla características relativas ao pensamento criativo, sentimentos novos e inéditos, bem como ideias originais para um modo de vida diferente.

E se há alguma “cura” para a imaturidade ela se organiza com o tempo; com a passagem do tempo e o crescimento para a maturidade que o tempo é capaz de engendrar.

 Será que é tempo que lhe falta pra perceber? Será que temos esse tempo pra perder? E quem quer saber? A vida é tão rara… Tão rara…

Falsa maturidade ou maturidade no tempo

Mesmo quando tudo pede um pouco mais de calma. Até quando o corpo pede um pouco mais de alma….

Para a emergência de uma pessoa adulta o adolescer não pode ser violado (apressado ou retardado), mas sustentado de modo singular: dando-se tempo ao tempo.

Dentro dessa perspectiva, para o bem dos adolescentes e de sua imaturidade é preciso garantir que eles não queimem etapas e não se precipitem em adquirir uma maturidade através de responsabilidades que não são suas ou de falsas e fáceis personificações de um papel adulto.

Saúde: identidade pessoal e continuidade da existência

Rumo à identidade pessoal cada adolescente experimenta sua adolescência de modo único e particular.

Contemplando o seu próprio tempo (quando se é saudável) atravessa o processo do adolescer em uma cadência e ritmo absolutamente singular.

Enquanto o tempo acelera e pede pressa eu me recuso, faço hora, vou na valsa… A vida é tão rara

Essencial à saúde psíquica do adolescente é imprescindível que a sociedade aceite e tolere ser chacoalhada pelas aspirações de seus membros não-responsáveis a fim de sustentar que a continuidade da existência se faça de modo autêntico e saudável.

Enquanto todo mundo espera a cura do mal. E a loucura finge que isso tudo é normal. Eu finjo ter paciência.

A gente espera do mundo e o mundo espera de nós. Um pouco mais de paciência

 E, para aqueles que não compreendem ou se recusam a entender que o fator tempo não pode ser violado; incapazes de tolerar a ideia de uma solução com o tempo

Um pouco mais que paciência

 

Eventos

 

WINNICOTT. D.W. (1963) em “A luta para superar depressões In: Privação e Delinqüência. Tradução Álvaro Cabral. 3º ed. São Paulo: Martins Fontes, 1999.

————————- (1964) em “A juventude não dormirá In: Privação e Delinqüência. Tradução Álvaro Cabral. 3º ed. São Paulo: Martins Fontes, 1999.

————————– (1967) O conceito de indivíduo saudável. In: Tudo começa em casa. Tradução Paulo Sandler. 2o ed. São Paulo: Martins Fontes, 1996.

Trechos Música Lenine: Paciência

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.