Pular para o conteúdo

Vera Canhoni

Poesia e infância: senso do lúdico e cambalhota – Bordas do inconsciente

 

Poesia e infância – senso do lúdico e cambalhota – Bordas do inconsciente

 

A poesia tem a função de pregar a prática da infância entre os homens.

A prática do desnecessário e da cambalhota, desenvolvendo em cada um de nós o senso do lúdico.

Manoel de Barros

de cambalhota em cambalhota…. que o senso do lúdico continue a surpreender aqueles que ousam se experimentar pelo avesso.

 

Eventos

 

Muller, A. Manoel de Barros, Rio de Janeiro, Beco do Azougue, 2010

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.