Pular para o conteúdo

Vera Canhoni

Experiências de comunicação – Winnicott em pequenas doses

Experiências de comunicação – Winnicott em pequenas doses

Na perspectiva winnicottiana, as comunicações mais essenciais ocorrem a partir da adaptação da mãe às necessidades individuais de seu bebê.

Na bela imagem da mãe segurando o bebê no colo e este sendo segurado, Winnicott destaca, no entrelaçamento dessas condições, um tipo muito especial de comunicação;

comunicação baseada e sedimentada nas tramas da experiência de confiabilidade humana, e não perfeitamente mecânica.

Comunicação silenciosa

Este tipo de comunicação é, porém, silencioso.

O bebê não ouve ou registra a comunicação, mas apenas os efeitos da confiabilidade; é algo que se registra no decorrer do desenvolvimento.

O bebê não tem conhecimento da comunicação, a não ser a partir dos efeitos da falta de confiabilidade.

É aqui que se dá a diferença entre perfeição mecânica e amor humano

Ambiente favorável – confiabilidade

Na medida em que a mãe providencia um ambiente favorável ao ritmo e às necessidades do lactente ela transmite e comunica (silenciosamente, via uma experiência intercorpórea)

a confiabilidade e a previsibilidade do meio ambiente; elementos imprescindíveis para apoiar as experiências relativas à constituição do si mesmo.

Quando a mãe (ou substituto materno) é capaz de sustentar, segurar e cuidar das situações harmoniosas e/ou fragmentárias de não-integração/integração inerentes ao processo de desenvolvimento ela

possibilita a continuidade da trajetória do bebê em face às etapas do amadurecimento que se estendem da dependência absoluta à independência relativa.

http://www.veracanhoni.com/on-line-grupo-de-estudo-winnicott-teoria-do-amadurecimento-e-desenvolvimento-humano/

http://www.veracanhoni.com/online-supervisao-clinica-psicanalitica-vera-canhoni/

http://www.veracanhoni.com/evento/on-line-atendimentos-clinicos-para-adolescentes-e-adultos/

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.