Pular para o conteúdo

Vera Canhoni

Relato de sonho: complexa sinfonia psíquica de sentimentos – degustação psicanalítica

Relato de sonho – associações internas do analista

Por mais que observemos o analista não fica neutro quando escuta o relato de um sonho, e,
por mais associações que faça o sonhador, cada analista é prolífico, com suas próprias associações internas,
movimentando-se em uma complexa sinfonia psíquica de sentimentos,
imagens vislumbradas, palavras decifradas, coleta avaliação interpessoal, escuta de histórias, intervalos meditativos.
Mesmo que o analista pense que a maioria destas associações internas seja lúcida, não é assim.
As verdadeiras leis do discurso interno e representações internas significam que estas condensações são elas próprias condensações de trabalho prévio alcançado dentro da análise.

Captação da realidade psíquica do paciente 

Nossa captação da realidade psíquica do paciente é somente em parte pensável;
sua lógica é mais próxima da natureza da poesia e da música do que do pensamento abstrato ou,
usando uma terminologia psicanalítica, do processo secundário.
Qualquer relato de sonho sempre desperta a curiosidade do analista, já que ele agora é também em parte
um detetive selecionando cuidadosamente através dos novelos fornecidos pelos conteúdos manifestos.
Como um observador da infância, ele nota onde, como, se de algum modo o sonho expressa o infantil,
e como o intérprete de transferência presta atenção ao sonho como uma expressão da experiência que o paciente tem do analista.

Relação dialética entre paciente-analista 

A relação paciente-analista é inevitavelmente dialética, já que cada participante destrói a percepção do outro e a versão retórica que o outro teve dos acontecimentos,
para criar o terceiro objeto intermediário,
uma síntese,
que não é propriedade de nenhum destes participantes
e objetifica a perda dos desejos onipotentes de possuir a verdade,
ao situar os participantes neste lugar de colaboração do qual pode emergir a verdade analiticamente útil.

Christopher Bollas

Bollas Christopher. Sendo um personagem. Rio de Janeiro, Livraria e Editora Revinter Ltda,1998.

http://www.veracanhoni.com/online-supervisao-clinica-psicanalitica-vera-canhoni/

http://www.veracanhoni.com/psicanalise-atendimentos-clinicos-para-adultos-e-adolescentes-temporariamente-atendimentos-remotos

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.