Pular para o conteúdo

Vera Canhoni

A capacidade de ficar só – Winnicott em pequenas doses

A capacidade de ficar só

A capacidade de ficar é um fenômeno altamente sofisticado e tem muitos fatores contribuintes.

Está intimamente relacionada com a maturidade emocional.

A base da capacidade de ficar é a experiência de estar na presença de alguém.

É somente quando (isto é, na presença de alguém) que a criança pode descobrir sua vida pessoal própria.

Quando no sentido em que estou usando o termo, e somente quando , a criança é capaz de fazer o equivalente ao que no adulto chamamos relaxar.

Se tornar não-integrada, devanear

A criança tem a capacidade de se tornar não-integrada, de devanear, de estar num estado em que não há orientação, de ser capaz de existir por um momento sem ser alguém que reage as contingências externas nem uma pessoa ativa com uma direção de interesse ou movimento.

É somente sob essas circunstâncias que a criança pode ter uma experiência que é sentida como real.

Nesse sentido uma criança com uma organização fraca do ego pode ficar por causa de um apoio de um ego consistente.  

Gradualmente, o ambiente auxiliar do ego é introjetado e construído dentro da personalidade do indivíduo de modo a surgir a capacidade de estar realmente sozinho.

Desenvolver capacidade de estar só

O indivíduo que desenvolveu a capacidade de estar está constantemente capacitado a redescobrir o impulso pessoal, e o impulso pessoal não é desperdiçado porque o estado de estar é algo que (embora paradoxalmente) implica sempre que alguém está ali.

Há sempre alguém presente, alguém que é, no final das contas, equivalente inconscientemente, à mãe, à pessoa que, nos dias e semanas iniciais, estava temporariamente identificada com seu lactente, e na ocasião não estava interessada em mais nada que não fosse seu cuidado.

 

WINNICOTT. D.W A capacidade para estar só. O Ambiente e os processos de maturação: estudos sobre a teoria do desenvolvimento emocional. Trad. Irineo Constantino Schuch Ortiz. Porto Alegre: Artmed, 1983 (Trabalho original publicado em 1958)

 

Eventos

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.