Pular para o conteúdo

Vera Canhoni

Poesia – Drummond – O outro: desconhecido que me habita

O outro: desconhecido que me habita

Como decifrar pictogramas de há dez mil anos

se nem sei decifrar

minha escrita interior?

Interrogo signos dúbios

e suas variações calidoscópicas

a cada segundo de observação.

A verdade essencial

é o desconhecido que me habita

e a cada amanhecer me dá um soco.

Por ele sou também observado

com ironia, desprezo, incompreensão.

E assim vivemos, se ao confronto se chama viver,

unidos, impossibilitados de desligamento,

acomodados, adversos,

roídos de infernal curiosidade.

Drummond, C.A. Corpo. Rio de Janeiro: Editora Record, 2011

 

Eventos

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.