Pular para o conteúdo

Vera Canhoni

Linguagem: lugar, palavra e silêncio – Bordas do inconsciente – Vera Canhoni

Linguagem: lugar, palavra e silêncio –

Desestruturação da linguagem e experiência de análise: belo fragmento poético nas bordas do inconsciente.

Veio me dizer que eu desestruturo a linguagem.

Eu desestruturo a linguagem?

Vejamos: eu estou bem sentado num lugar. Vem uma palavra e tira o lugar de debaixo de mim.

Tira o lugar em que eu estava sentado. Eu não fazia nada para que a palavra me desalojasse daquele lugar.

E eu nem atrapalhava a passagem de ninguém.

Ao retirar de debaixo de mim o lugar, eu desaprumei.

Ali só havia grilo com a sua flauta de couro. O grilo feridava o silêncio.

Os moradores do lugar se queixavam do grilo.

Veio uma palavra e retirou o grilo da flauta.

Agora eu pergunto: quem desestruturou a linguagem?

Fui eu ou foram as palavras?

E o lugar que retiraram de debaixo de mim?

Não era para terem retirado a mim do lugar?

Foram as palavras pois que desestruturaram a linguagem.

E não eu.

Manoel de Barros

Barros, M. Poesia Completa. São Paulo. Leya, 2010

http://www.veracanhoni.com/faca-psicoterapia-faca-a-diferenca-atendimentos-psicanaliticos-online-psicanalise-a-arte-de-dar-voz-ao-seu-inconsciente/

http://www.veracanhoni.com/novas-pontes-para-residentes-no-exterior-atendimentos-psicologicos-online-na-lingua-portuguesa-vera-canhoni/

http://www.veracanhoni.com/online-supervisao-clinica-psicanalitica-vera-canhoni/

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.