Pular para o conteúdo

Vera Canhoni

O viver criativo – parte 1/2 – Winnicott em pequenas doses

O viver criativo – parte 1/2  – Winnicott em pequenas doses 

O Viver criativo – desenvolvimento emocional

Aquilo que somos depende muito do ponto que atingimos em nosso desenvolvimento emocional, ou da extensão de nossas oportunidades naquela época do crescimento que tem a ver com os estágios iniciais da relação objetal.

Sei que deveria estar dizendo aqui algo assim: feliz é aquele que está sendo criativo o tempo todo em sua vida pessoal e em sua vida com parceiros, filhos, amigos, etc.

O bebê torna-se preparado para encontrar um mundo de objetos e ideias, e, segundo seu crescimento nesse aspecto, a mãe vai lhe apresentando o mundo.

Adaptação da mãe – onipotência do bebê

Em função de seu alto grau de adaptação durante esses tempos iniciais, a mãe capacita o bebê a experimentar a onipotência: a encontrar realmente aquilo que ele cria, e a criar e vincular isso com o que é real.

É a partir daí que se pode ir introduzindo, gradualmente, o princípio da realidade, e a criança que conheceu a onipotência experimenta as limitações que o mundo impõe.

para continuar a leitura acesse:

https://www.veracanhoni.com/2017/10/02/o-viver-criativo-parte-2-2-winnicott/

 

WINNICOTT. D.W Tudo começa em casa. Trad. Paulo Sandler, 2ed. São Paulo: Martins Fontes, 1996.

Eventos

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.