Pular para o conteúdo

Vera Canhoni

Ensaios Poéticos – desordem noite alucinada – Vera Canhoni

Ensaios Poéticos – desordem noite alucinada – Vera Canhoni

Ensaios Poéticos – desordem noite alucinada

 

Na desordem da noite alucinada

A multidão desgovernada rompia etéreos espaços esparsos

Acostumada aos ventos impertinentes

e sob os véus em profusão

só as fêmeas remendavam os sonhos esquecidos:

Maculados e impuros

tecidos e restos da sofreguidão das noites e dos dias

 

Oficina – Clínica psicanalítica e poesia: entrelaçamento – Vera Canhoni

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *