Pular para o conteúdo

Vera Canhoni

Memória dos sonhos – derivados das experiências – Freud em pequenas doses

Memória dos sonhos – derivados das experiências – Freud em pequenas doses

Material e Memória dos sonhos

 

Material dos sonhos: derivados das experiências

Todo material que compõe o conteúdo de um sonho é derivado, de algum modo, da experiência, ou seja, foi reproduzido ou lembrado no sonho.

Mas seria um erro supor que uma ligação dessa natureza entre o conteúdo de um sonho e a realidade esteja destinada a vir à luz facilmente, como resultado imediato da comparação entre ambos.

A ligação exige, pelo contrário, ser diligentemente procurada, e em inúmeros casos pode permanecer oculta por muito tempo.

Memória dos sonhos

A razão disso está em diversas peculiaridades exibidas pela faculdade da memória dos sonhos, e que, embora geralmente observadas, até hoje têm resistido à explicação.

É possível que surja, no conteúdo de um sonho, um material que, no estado de vigília, não reconheçamos como parte de nosso conhecimento ou experiência.

Lembramo-nos naturalmente, de ter sonhado com a coisa em questão, mas não conseguimos lembrar se ou quando experimentamos na vida real.

Ficamos assim em dúvida quanto à fonte a que recorreu o sonho e sentimo-nos tentados a crer que os sonhos possuem uma capacidade de produção independente.

Para além do alcance de nossa memória de vigília

Muitas vezes, após um longo intervalo, alguma nova experiência relembra a recordação perdida do outro acontecimento e, ao mesmo tempo, revela a fonte do sonho.

Somos assim levados a admitir que, no sonho, sabíamos e nos recordávamos de algo que estava além do alcance de nossa memória de vigília.

Ninguém que se ocupe de sonhos, pode, creio eu, deixar de descobrir que é fato muito comum um sonho dar mostras de conhecimentos e lembranças que o sujeito, em estado de vigília, não está ciente de possuir.

Uma das fontes de onde os sonhos retiram material para reprodução – material que, em parte, não é nem recordado nem utilizado nas atividades do pensamento de vigília – é a experiência da infância.

 Sigmund Freud

 

FREUD, S. A interpretação dos sonhos (parte I) In: Obras Psicológicas Completas de Sigmund Freud: edição standard brasileira, Volume IV. (1900) Trad. Sob a direção de Jayme Salomão. Rio de Janeiro, Imago, 1994.

 

Eventos

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.