Pular para o conteúdo

Vera Canhoni

Psicanálise: Na prática do psicanalista: o poema e o self. Parte 1/4

Psicanálise: Na prática do psicanalista: o poema e o  self. Parte 1/4 

Na prática do psicanalista:  o poema e o núcleo isolado do self.

Extrair e lavrar os cuidados

No cotidiano de minha prática como psicanalista traço paralelos entre o poemaMineração do Outro” de Carlos Drummond de Andrade e a primorosa interpretação de Davi Arrigucci Junior a fim de fazer alguns enlaces com as ideias de Winnicott tocante ao núcleo isolado do self.

Como forma de retratar a necessidade de alguns pacientes em seus anseios mais profundos para alcançar uma existência (bases para as experiências e expressões do self). 

Esse poema ilustra os caminhos através dos quais é possível compreender certas nuanças quando somos convocados a extrair/lavrar os cuidados ao longo de uma relação analítica.

Decifração – aliança amor e desejo de conhecimento

Em uma demonstração sensível sobre esse ato de amor que envolve o cuidar, o cultivar e “gerir” o outro, o poema lança luz sobre o amor e seus problemas, bem como sobre a delicada e imbricada tarefa em face da decifração do outro.

Essencial à prática do psicanalista a questão da aliança entre o amor e o desejo de conhecimento também se apresenta de forma singular em face àqueles que demandam construir e alicerçar seus processos de continuidade e de existência pelas vias dos cuidados que experiência analítica é capaz de extrair.

 

para continuar a leitura acesse:

https://www.veracanhoni.com/2017/02/11/psicanalise-pratica-psicanalista-poema-self-2-4/

 

ARRIGUCCI, Jr, D. Coração Partido: uma análise da poesia reflexiva de Drummond. São Paulo: Cosac & Naify, 2002.

DRUMMOND de ANDRADE, C. Obra completa, Rio de Janeiro: GB, Companhia José Aguilar, 1967.

 

Eventos

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.