Pular para o conteúdo

Vera Canhoni

Travessias – memória, ilusão e resto da realidade

Travessias – memória, ilusão e resto da realidade

Nas vicissitudes da experiência analítica a memória, em sua plasticidade psíquica,  é capaz de abrir infinitas travessias àqueles que, no exercício do olhar – sem tangibilidade – , têm olhos para ver…

Ver era um modo de ir embora ou de olhar para sempre. Queria que fosse colheita. Queria que as imagens se capturassem sem devolução, sem empréstimo, mas o exercício dos olhos era vazio. Tinha nenhum recipiente, nenhuma reserva. Sem tangibilidade, ver humilhava a memória, que nunca recuperaria a completude de coisa nenhuma. A memória era o resto da realidade. Uma sobra que mutava para a ilusão com facilidade.

Valter Hugo Mãe

Mãe, V.H. Homens imprudentemente poéticos. São Paulo: Biblioteca Azul, 2016

http://www.veracanhoni.com/psicanalise-atendimentos-clinicos-para-adultos-e-adolescentes-vera-c/

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.